Pedidos de exames na consulta com psiquiatra

Atualizado: 24 de fev. de 2021

Algumas pessoas apresentam dúvidas sobre o motivo de um psiquiatra solicitar exames, como de sangue ou um eletrocardiograma.

Uma das razões é para elucidar dúvidas diagnósticas. Exames de sangue podem ajudar, por exemplo, em um quadro em que o paciente está se queixando de cansaço, ou fraqueza. Embora essas queixas possam ser sintomas de depressão, é importante e esclarecer até que ponto esse quadro não pode ser justificado, por exemplo, por uma anemia ou hipotireoidismo. Ressaltando que os quadros não precisam ser excludentes - o paciente pode ser hipotireoidismo e também ter um transtorno depressivo.




Quadros de alteração de comportamento, alucinações e delírios podem ser decorrentes de alguma alteração metabólica ou doença infecciosa. Em pessoas idosas não é incomum que elas apresentem sintomas como desorientação e outras manifestações psiquiátricas quando têm alguma infecção ou outro problema de saúde mal controlado. Exames de imagem, como tomografia computadorizado e ressonância magnética de crânio também nos orientam em diversas situações, como síndromes psicóticas ou demenciais.


Outra razão para um psiquiatra solicitar exames é a fim de ter mais dados sobre a saúde geral do paciente desde o início do tratamento e revisar periodicamente. Muitas vezes é uma oportunidade de identificar um problema de saúde que não estava recebendo a devida atenção, como dislipidemia, e encaminhar para o devido tratamento. Além disso, alguns medicamentos normalmente prescritos por psiquiatras podem provocar efeitos colaterais que precisam ser monitorados. Certos antidepressivos ou antipsicóticos têm chance de gerar complicações cardíacas, logo, é importante ter um eletrocardiograma do paciente para saber até que ponto é seguro iniciar ou manter certo remédio.


Por último, há medicamentos que precisam ter seus níveis no sangue monitorados periodicamente, pois em níveis muito baixos eles não são eficazes e em níveis elevados apresentam toxicidade. Dois exemplos desses medicamentos são o carbonato de lítio e o ácido valpróico, bastante usado em transtornos de humor.

Dr. Jonathan Rodrigues de Assis

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo