Como é a consulta com o psiquiatra?

A primeira consulta com o psiquiatra pode ser motivo de apreensão para algumas pessoas, o que pode estar relacionado a algumas ideias equivocadas sobre a atuação desse profissional.


Devemos lembrar que a psiquiatria é uma especialidade médica, logo, a consulta com o psiquiatra segue princípios gerais de atendimentos comuns aos diversos ramos da medicina. Mas claro que a psiquiatria tem suas especificidades.


Inicialmente o psiquiatra vai colher a história sobre a queixa do paciente, tentando compreender por que ele procurou ajuda, quando seu problema começou, como ele se manifesta, e como tem afetado a vida do paciente, sejam sintomas depressivos, crises de ansiedade ou esquecimentos em uma pessoa idosa.


Além disso, é importante obter informações sobre os problemas gerais de saúde do paciente, como ocorre em todas as consultas médicas. O tratamento em saúde mental não pode ser dissociado da saúde física. Doenças clínicas, como anemia ou problemas de tireóide, podem ter relação direta com a queixa do paciente. Da mesma forma, é importante saber os tipos de medicamentos que o paciente já usa, tanto para estabelecer possível correlação com o quadro e evitar interações medicamentosas problemáticas com os remédios prescritos pelo psiquiatra.


O psiquiatra não deve se atentar apenas à narrativa da questão clínica em si, mas também de dados pessoais e biográficos. Entender quem é a pessoa que busca ajuda é importante tanto para o profissional evitar generalizações indevidas e também no planejamento do tratamento. Logo, não é incomum que o profissional solicite informações sobre a origem do paciente, sua religião, sua formação acadêmica e profissional, seu círculo familiar e social, e inclusive sobre hábitos de lazer.


Durante o relato do paciente, o psiquiatra não avalia apenas o conteúdo do que o paciente diz, porém também outros elementos do discurso e da sua atitude, para realizar o chamado exame psíquico. Tom e modulação da voz, uma postura muito retraída ou expansiva e a percepção do paciente sobre seu problema são alguns dos pontos avaliados pelo profissional.


Apesar de muita gente pensar que a consulta com psiquiatra é apenas baseada na conversa, não podemos nos esquecer que informações de exame físico não devem ser dispensadas. O exame neurológico muitas vezes também é realizado, e são bastante importantes em pacientes idosos com quadro demencial, por exemplo.


Após sintetizar as informações obtidas, o psiquiatra elabora as hipóteses diagnósticas e elabora um plano de tratamento inicial. Nessa etapa é importante dividir com o paciente sua percepção sobre o quadro.


O plano de tratamento não envolve apenas receitar remédios, nem sempre eles são necessários. Ele pode envolver encaminhamento para psicoterapia, mudança de hábitos, articular a criação de uma rede de apoio com familiares. Muitas vezes também é importante solicitar exames, sejam de sangue, uma ressonância magnética de crânio ou uma polissonografia. Os exames podem ter diversos propósitos, por exemplo, ajudar na investigação do diagnóstico, monitorar o uso de medicamentos como o carbonato de lítio.


Após essa explicação de como é uma consulta com o psiquiatra, você deve ter ficado mais confortável para o seu primeiro atendimento. Essas informações também serão úteis caso você precise incentivar um conhecido em sofrimento psíquico a buscar ajuda profissional.



196 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo